Alojamentos Reservas Actividades Locais de Interesse Gastronomia Contactos
 
                             eriz, aldeia da Beira Alta e sede de freguesia, é uma das mais bonitas aldeias, se não a mais bonita, do concelho de Castro Daire. Reriz é uma povoação muito antiga. D. Manuel I deu-lhe foro de Vila em 9 de Março de 1514, e foi esta aldeia até 1834, sede de concelho que, sendo então suprimido, passou a fazer parte do concelho de Sul. Este foi também suprimido em 1855 e desde então passou a freguesia de Reriz a pertencer ao concelho de Castro Daire. Foram donatários desta freguesia os “Castros das Treze Arruelas”, Senhores de Resende.

Reriz está situada ao fundo de um monte chamado “Cabeçadas”, ramo da Serra do Gafanhão, que lhe fica próximo. À raiz deste monte passa o Rio Paiva, que divide o bispado de Viseu do de Lamego. Na margem direita deste rio destaca-se a Serra do Montemuro. Fica, portanto, Reriz num vale do Rio Paiva, entre o “Monte das Cabeçadas”, Serra do Montemuro e Serra do Ladário, junto à aldeia, estende-se uma enorme e fértil várzea, passando no fundo desta o Rio Paiva.
English Version   
Há neste rio abundância de peixe, e têm especial fama as trutas, que são das melhores e maiores do país.
Foi no alto do “Monte das Cabeçadas” que o célebre eremitão Leovigildo fundou a capela de Nossa Senhora de Rodes, a que alguns escritores dão, erradamente, o nome de Nossa Senhora da Roda. Não se sabe ao certo o ano em que Leovigildo construiu a capela, mas supõe-se que terá sido no ano de 1140, pouco depois da Batalha de Ourique, entre D. Afonso Henriques e os Mouros, em 1139.

Foi este santo eremitão que, na véspera da primeira batalha, se dirigiu à tenda de D. Afonso Henriques, encorajando-o e prometendo-lhe a vitória.

Nesta ermida viveu Leovigildo 13 anos, morrendo aos 90, no dia 17 de Julho de 1143, ano em que foi reconhecida a independência de Portugal.Foi sepultado na capela, em frente do altar-mor. Ao lado havia um gigantesco carvalho, de que resta ainda um pequeno e carcomido tronco.

No coração de um Portugal verde e sumptuoso convidamo-lo a usufruir da hospitalidade e conforto que a própria natureza garante e que os seus habitantes promovem.

Na aldeia de Reriz depara a cada passo com a serenidade que tanto ambiciona. Envolva-se na tradição dos sentidos e percorra uma experiência de riqueza paisagística, de valiosos cheiros e sabores, num inestimável contacto com a nossa história comum.

Na Casa do Vila encontra um espaço previligiado para reencontrar a vida e o seu relaxante fluir.